Por que as startups escolheram Portugal?

O host WebSummit possui um ecossistema que suporta startups, tornando-o no Vale do Silício Europeu


GPW Invest – 01 Outubro 2019

Portugal é muito mais que um destino turístico, com cozinha maravilhosa e paisagens incríveis. Este país, posicionado na extremidade mais ocidental da Europa, tornou-se um paraíso para as startups, seja para descobrirem que podem se incubar entre as 135 startups existentes no país ou para continuar de onde pararam.

Uma das muitas razões para Portugal ser um dos principais países escolhidos pelas startups é a existência de um ecossistema que promove o desenvolvimento tecnológico.

Em novembro, a capital portuguesa sediará o maior evento de tecnologia do mundo – WebSummit, pela quarta vez consecutiva. Entre os dias 4 e 7 de novembro de 2019, mais de 100 investidores estarão presentes na Altice Arena, Parque das Nações, Lisboa, juntamente com centenas de startups que procuram investidores para ajudar a expandir seus negócios.

Não é por acaso que este evento está sendo realizado em Portugal. Entre os hospedados pelo governo português e os hospedados por empresas privadas, do norte ao sul do país, Portugal oferece vários programas para apoiar e investir em novas startups e promover reuniões para expandir seus negócios.

O ecossistema tecnológico português

Como chegamos aqui?

A crise econômica de 2008 abalou o mundo inteiro e Portugal não foi exceção. Milhares de jovens portugueses foram forçados a emigrar em busca de novas oportunidades, deixando todos os setores da sociedade em péssimas condições. A estratégia de Portugal na era pós-crise era tentar trazer esses emigrantes de volta, transformando o país em um centro atraente para novas oportunidades. Hoje, Portugal é um dos países mais atraentes em que as multinacionais podem criar empregos e em que novas empresas podem dar seus primeiros passos.

Qualidade de vida a um preço decente, um clima agradável, uma posição privilegiada na paisagem geopolítica e uma cultura muito rica são apenas alguns dos fatores que contribuíram para que Portugal se tornasse um destino turístico de excelência, um local de preferência para investimentos imobiliários e o novo capital para novos negócios.

O novo visual de Portugal se destaca por sua dimensão tecnológica. O maior evento de tecnologia do mundo, o Web Summit, reúne figuras de destaque no desenvolvimento de tecnologia, transformando Lisboa no novo Vale do Silício. O crescimento da cidade chegou ao Índice de Startups de 2017, conquistando Lisboa o título de quarta melhor cidade do mundo para iniciar um negócio, precedida apenas por Vancouver em 1º lugar, Berlim em 2º e Manchester em 3º, e à frente de Londres, que ficou em 15º lugar, San Francisco em 21º e Nova York em 22º lugar.

O relatório de 2017 da Startup Europe Partnership também afirma que o ecossistema de startups em Portugal está crescendo a uma taxa duas vezes mais rápida que a média europeia. O país é capaz de competir com outros países da Europa, principalmente porque oferece uma força de trabalho que é igualmente ou mais altamente qualificada do que em outros países, juntamente com a possibilidade de contratar a preços mais baixos, como os encontrados em Berlim.

Investimento estrangeiro

O volume de investimentos estrangeiros no país também contribuiu muito para o crescimento do ecossistema tecnológico português. Dezenas de empresas multinacionais investiram recentemente em projetos no país, criando milhares de empregos com uma força de trabalho altamente qualificada. De fato, Portugal é o país europeu com o quinto maior número de doutorados em ciência e tecnologia por 1000 habitantes, com idades entre 20 e 29 anos.

Hostelworld, Blip, Euronext Technologies, Altran, Cisco, Zalando e Siemens são outras empresas multinacionais que foram atraídas para o mercado português. Mas as startups não estão escolhendo Portugal apenas porque as grandes empresas estão investindo no país – e para provar isso, dois unicórnios portugueses (startups avaliadas em mais de um bilhão de dólares) nasceram:

  • Farfetch, uma loja online de artigos de moda de luxo com grande parte de suas operações em Portugal, que deu os primeiros passos para ser listada na Bolsa de Valores de Nova York;
  • Outsystems, uma plataforma de desenvolvimento rápido para aplicativos de baixo código que permite que o código seja personalizado sempre que necessário. Este ano, recebeu um investimento de 360 milhões de dólares do grupo KKR e da Goldman Sachs.

Programas Nacionais

Outra razão pela qual Portugal se tornou tão atraente são os incentivos e esforços que o país fez para desenvolver seu setor tecnológico. O governo português desenvolveu o programa StartUP Portugal, que visa divulgar o ecossistema de startups no país em escala global. Atualmente, o programa possui 25 iniciativas em andamento para apoiar startups, exemplos dos quais são:

  • O StartUP Voucher, que dá vida aos projetos de jovens de 18 e 35 anos, durante um período de 12 meses, quando eles consolidam suas idéias. Inclui uma concessão, apoio e bônus.
  • O Voucher de Incubação suporta as primeiras despesas da startup, fornecendo cinco mil euros que podem ser usados em uma das 135 incubadoras em Portugal. Para descobrir quais são, consulte o site da Rede Nacional de Incubadoras e Aceleradoras – rni.pt.
  • Semelhante ao Golden Visa, o StartuUp Visa é um visto de residência para residentes de fora da UE que desejam criar ou desenvolver suas startups em Portugal, aproveitando as possibilidades oferecidas pelos mercados português e europeu. Este visto é concedido a startups com potencial para gerar mais de 300.000 euros dentro de cinco anos após a escolha de uma incubadora.
  • Os recém-formados e os estudantes do último ano do ensino superior que se beneficiaram de apoio social durante o curso e que desejam desenvolver sua ideia de negócio depois de concluir o curso podem escolher o StartUp Momentum. Essa iniciativa fornece suporte mensal de quase 700 euros, moradia gratuita e integração em uma incubadora por um ano.
  • O Road2WebSummit é uma parceria entre a StartUP Portugal e a WebSummit que visa ajudar as startups portuguesas a aproveitar ao máximo o evento. Essa assistência envolve sessões de treinamento sobre como conversar com investidores, organizar seus objetivos e outras habilidades úteis antes, durante e depois do evento.
  • O programa também abrange uma iniciativa para empreendedores que procuram parceiros com os quais possam investir e colaborar em empresas de base tecnológica ou em outros setores do mercado português e internacional (Portugal Ventures).
  • As startups que desejam participar de eventos internacionais também podem se inscrever em um programa que lhes permita receber apoio do governo para participar desses eventos (Missões no Exterior).

Aproveite o ecossistema tecnológico português e comece a investir com o GPW!
Entre em Contato!


Blog GPW
2021 © PT

GPW Invest | Todos os direitos reservados | Esta página usa cookies

| Web design: Estreia
PT
2021 © PT
GPW Invest | Termos Legais
Entrar em Contacto
Entrar em Contacto
maisSuíça
Telefone +41 61 225 4211
info@gpwconsulting.com
maisPortugal
pt@gpwconsulting.com